Uso de Focinheira para Cães - Quebrando Preconceitos

Por Marcio Cerqueira

 

Recentemente, em Curitiba, uma lei municipal criou muita polêmica ao obrigar cães de raças consideradas perigosas ou com o peso acima de 20 quilos a usar
focinheira. Os meios de comunicação noticiaram a indignação dos proprietários. A maioria esmagadora fazia comentários do tipo: é uma agressão ao animal, o cão sufoca com o uso da focinheira, meu cão detesta usar tal artefato, o uso deixa o animal muito feio e com aparência agressiva, etc. Sem entrar no mérito da Lei, é importante no momento atual tecer alguns comentários sobre o uso da focinheira, desmistificar e mudar certos conceitos.

Vantagens: O uso da focinheira adequada não fere o animal, permite ao mesmo respirar normalmente, abrir a boca, latir e até beber água. Isto tudo de forma a não se tornar um fardo incômodo ao cão, pelo menos não mais do que uma coleira ou um enforcador. Tal equipamento traz inúmeras vantagens tais como:

- Poder soltar o cão em lugares públicos sem o perigo de acidente, o que é extremamente útil para o processo de socialização do animal e seguro para as outras pessoas.
- Dar liberdade ao animal juntamente com outros que também usam focinheira sem o perigo de ferimentos em eventuais brigas, o que também colabora na socialização e é bastante benéfico para ele.
- Evitar, em determinadas situações, que o cão coma algo que o contamine ou intoxique.
- Evitar que o cão passe a língua em ferimentos expostos, em momentos quando não seja possível usar a conhecida “gola de plástico” veterinária.
- Permitir que o veterinário ou outra pessoa manuseie um animal ferido de forma segura e sem o transtorno e o incômodo da mordaça.